sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Três notas

Primeira
Muitos riam quando se dizia que o impeachment da presidenta Dilma Rousseff poderia levar o Brasil a uma convulsão social. A intervenção militar no Rio de Janeiro, assinada pelo ilegítimo presidente Michel Temer, mostra que estamos mais próximos da tal convulsão. E você, vai continuar achando graça?

Segunda
A direita não tem votos e a extrema-direita de Bolsonaro é um risco ainda maior de retrocesso para a elite, que é mesquinha, mas não burra. Conforme Rodrigo Vianna, "alguns analistas já apostam que o movimento de Temer [intervenção militar no Rio] desembocaria no cancelamento da eleição". Você pode não acreditar em teorias da conspiração, mas que elas existem, existem.

Terceira
Medo e pena do povo pobre do Rio de Janeiro, na linha de tiro do Exército. Os ricos continuarão protegidos porque o estado é plutocrata. E a classe média? Vai ficar no meio do tiroteio. Espero que aprenda alguma coisa com isso. 

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Fantasia do ano inteiro

Qual o problema em usar fantasia de índio no carnaval? 

Afinal, durante o ano todo:
- trabalhador usa fantasia de patrão;
- pobre e classe média usam fantasia de elite; 
- autoritário/golpista usa fantasia de democrático; 
- homofóbico, racista e sexista usam fantasia de respeitador dos direitos humanos pela inclusão social; 
- religioso usa fantasia de amor ao próximo; 
- político usa fantasia de honesto; 
- juiz usa fantasia de justo.

O problema não é a fantasia no carnaval. É a fantasia do ano inteiro. Há!

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Os muitos e os céticos


Muitos argumentavam que Dilma seria tirada do poder para que Temer pudesse destruir as políticas públicas e os céticos afirmavam que isso era teoria da conspiração.
A PEC do congelamento de gastos por 20 anos, que reduziu investimentos em saúde e educação, prova que muitos estavam certos.

Muitos argumentavam que Dilma seria derrubada da Presidência para que Temer pudesse destruir direitos do trabalhador e os céticos afirmavam que isso era teoria da conspiração.
A Reforma Trabalhista, que aumentou a informalidade e o subemprego, prova que muitos estavam certos.

Muitos argumentavam que Dilma seria afastada do cargo para que Temer pudesse entregar o petróleo brasileiro às multinacionais e os céticos afirmavam que isso era teoria da conspiração.
Os leilões do pré-sal, que acabou em mãos das multis, e o fim da Política de Conteúdo Local provam que muitos estavam certos.

Muitos argumentavam que a Lava Jato era uma instrumento para destruir as grandes empresas brasileiras da construção pesada e os céticos afirmavam que isso era teoria da conspiração.
A punição às empresas que reduziram drasticamente o número de empregados, com manutenção da riqueza pessoal dos seus donos - presos com tornozeleiras em seus ricos domicílios - prova que muitos estavam certos.

Muitos argumentavam que a Lava Jato era uma operação para destruir a esquerda, poupando os corruptos da direita, distribuindo privilégios para delatores e os céticos afirmavam que isso era teoria da conspiração.
A seletividade de moros e bretas e a impunidade de aécios e serras provam que muitos estavam certos.

Muitos argumentavam que a Lava Jato era um instrumento de perseguição a Lula para tirá-lo da corrida presidencial e os céticos afirmavam que isso era teoria da conspiração.
A exposição dos privilégios corporativos do Judiciário e do MP e a crítica a moros, bretas, dallagnóis e seus auxílios-moradia - somente após a confirmação da condenação de Lula no TRF4 - provam que muitos estavam certos.

Você pode continuar não acreditando em teorias de conspiração, mas que as conspirações existem, existem!

Sintomas

Então... quer dizer que a mídia tradicional "descobriu" que Moro, Bretas e afins ganham auxílio-moradia, mesmo tendo imóvel onde moram; têm vencimentos acima do teto constitucional! 

É impressão minha ou a mídia que alçou esses juízes à condição de semideuses, agora devolvem as excelências ao seu devido lugar, a primeira instância?

É sintomático que isso tenha acontecido após a confirmação da condenação de Lula na segunda instância.

Juízes e procuradores estão tão agarrados a privilégios corporativos quanto deputados, senadores e ministros.

Inquietudes (393) do Rei

A mídia tradicional está empenhada em mostrar os privilégios de bretas e moros. A Lava Jato deixou de ser uma boa companheira? Há!

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Sem luz ao final do túnel

Jornalista compartilhando meme fake como notícia.
Advogado aplaudindo irregularidade processual porque não gosta do réu.
Agente da lei descumprindo a lei para prender quem descumpre a lei.
Juízes fazendo mais política e menos justiça.
Políticos fazendo de tudo, menos política de qualidade. 
Pobre fazendo discurso de rico. 
Empregado defendendo direitos do empregador. 
Servidor público defendendo o estado mínimo. 
Padre semeando a discórdia. 
Pastor promovendo a exclusão. 
Cotista afirmando que chegou à universidade por mérito.
Mulher atacando o feminismo.
Negro sendo contrário às políticas afirmativas. 
Corrupto apontando a corrupção, do outro.
Muita coisa está errada e a luz não aparece - nem mesmo fraquinha - ao final do túnel.

Inquietudes (392) do Rei

Por onde andam os indignados contra a arte pelada de museu? Protestando contra o BBB ou assistindo ao BBB? Há!

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Inquietudes (391) do Rei

Muitos reclamam da Pabllo Vittar, mas não condenam "Só surubinha de leve" que faz apologia ao estupro. Não é mera coincidência. Há!

Piada não é apenas piada!


"Claro que um pensamento racista não pode ser considerado como piada. Piada é aquilo dito sem intenção de ofender, sem ser dirigida a ninguém em particular, num ambiente privado, cochichado até. Piada é piada." A declaração é do jornalista William Waack, em entrevista à Folha de S.Paulo, desta terça-feira (dia 16).


Três aspectos merecem atenção na fala do jornalista William Waack que foi demitido da Rede Globo, depois que veio à tona – em novembro passado – um vídeo em que ele reclama de um motorista que buzina insistentemente, durante uma entrevista que realiza. “É coisa de preto.” 

Primeiro, uma piada não é apenas uma piada. Uma piada que deprecia o negro é racista. Uma piada que deprecia a mulher é machista. Uma piada que prega a violência contra a mulher é misógina. Uma piada que deprecia os homossexuais é homofóbica. Ainda neste rol devem ser incluídas as piadas que destilam preconceito contra gordo, pobre, indígena, morador de rua, pessoa com deficiência, entre tantos.

Segundo, quem conta uma piada pode não ter a intenção de ser racista, machista, misógino, homofóbico ou de discriminar qualquer que seja o segmento. No entanto, quem conta uma piada, nesse contexto, faz a manutenção do preconceito e contribui sim para o racismo, o machismo, a misoginia, a homofobia e a discriminação contra os segmentos citados.

Terceiro, uma piada contada em um ambiente privado não tem a mesma repercussão de uma narrada em um espaço público, mas isso não muda o caráter (seja qual for) da piada. Além disso, a frase de Waack não foi captada em um ambiente privado. O jornalista disparou a expressão racista em uma emissora de televisão, um serviço essencial cuja concessão é pública.

Na entrevista à Folha, o jornalista creditou sua demissão da Globo à atuação de grupos organizados na internet. Ele reclamou que “ceder à gritaria é ruim sob qualquer perspectiva em qualquer lugar, especialmente num período de crise política e rápidas transformações, como vivemos.” Isso significa que grupos organizados se fazem ouvir, diferentemente de tempos passados nos quais a mídia comercial era hegemônica, a única voz.

Waack afirmou ainda que “o mais preocupante não é o que grupos organizados fazem para destruir órgãos de imprensa, mas sim a percepção cada vez mais abrangente, por parte do grande público, de se sentir ‘órfão’ em relação aos tradicionais guardiães da ‘verdade dos fatos’.” Quando ele atribui às redes sociais a sua demissão, mas acredita que a grande mídia seja a guardiã tradicional da verdade, revela que não aprendeu muita coisa com o episódio.

Inquietudes (390) do Rei

O bom das celebridades instantâneas é que elas desaparecem com a mesma velocidade que aparecem. Há!

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Inquietudes (389) do Rei

Então... quer dizer que os juízes estão preocupados com a insegurança durante o julgamento de Lula, no TRF4. Qual a responsabilidade do próprio Judiciário no caos instalado no Brasil? 

Lembrem-se de que o STF não deixou Lula ser ministro de Dilma, mas liberou Moreira Franco para Temer, em situação idêntica. O STF até hoje não julgou o mérito do impeachment de Dilma. 

Muitas operações quem envolvem PF, MPF e juízes de primeira instância 
- prendem para forçar delação; 
- conduzem coercitivamente de forma ilegal; 
- condenam com base apenas em delações, sem provas; 
- direcionam ações contra tesoureiros de uns partidos enquanto outros não são incomodados; 
- vazam seletivamente informações para a mídia parceira. 

Alguns procuradores e juízes, como se fossem blogueiros, atacam nas redes sociais a política, partidos e condenam privilégios de políticos esquecendo-se dos da própria categoria. 

De qual insegurança mesmo, os magistrados estão reclamando?

domingo, 7 de janeiro de 2018

Meritocracia! sqn

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo, deste domingo, revela a evolução patrimonial da família do deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro.

"O deputado e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e seus três filhos que exercem mandato são donos de 13 imóveis com preço de mercado de pelo menos R$ 15 milhões, a maioria em pontos altamente valorizados do Rio de Janeiro, como Copacabana, Barra da Tijuca e Urca."


Admiro o esforço pessoal. Basta trabalhar e trabalhar mais um pouco para enriquecer. Acho que isso é meritocracia. Há!


PS. Vai ser interessante ver a grande mídia, nas eleições 2018 (se tiverem), atuar para neutralizar os efeitos colaterais do ódio que incentiva contra a esquerda. Bolsonaro bem colocado nas pesquisas é um efeito indesejado da elite conservadora que quer alguém mais inteligente e polido para ocupar a Presidência da República.

Recado para Fran

Imagem: Reprodução Facebook Ateísmo da Depressão.

Fia, relaxe!
Na segunda vez que seu filho vir uma cena de beijo entre duas mulheres ou dois homens, ele ficará menos assustado.
Na terceira, ficará ainda menos assustado.
Na quarta vez, ele poderá respeitar o outro.
Só que isso depende de você educar seus filhos para o respeito e a tolerância.

Inquietudes (388) do Rei

Uma drag queen incomoda muita gente. Uma drag queen famosa que arrasta multidão - mesmo 'cantando mal' - incomoda muito mais. Há!